380 views

17 de outubro de 2014

Tea With Me – Amor por chás e dicas pra comprar o seu

Por Carol Guido / carol@girlswithstyle.com.br

Gente! Sim, resolvi fazer um post sobre chás. Meu amor por eles é grande demais e eu tenho a plena convicção que uma xícara de chá tem o poder de mudar o humor de qualquer um.

Olha, eu por exemplo, quando eu tô com insônia, bebo chá. Quando tô nervosa, bebo chá. Quando senti que uma comida não caiu bem, tomo chá. Quando já tomei café demais, tomo chá. E posso passar horas aqui dizendo como é bom essa aguinha com sabor de nada tão maravilhosa.

amor-chas-gws

Mas, da onde veio essa sua obsessão?

Bom, eu cresci com a minha avó e ela tinha mania de chá pra tudo. Ela e o boldo (eca!), são ó, melhores amigos. Nunca vi uma pessoa ter tanta azia e clamar tanto por um chá de boldo daqueles assim, com folhas frescas amassadas tiradas na hora do quintal. É um santo remédio também pra ressacas, mas isso eu só fui descobrir mais velha. hahaha

Enfim! Minha vó me dava chá de camomila todo dia, carregado de açúcar, e eu amava. Aquilo virou um hábito precioso pra mim até que lá pelos meus 15 anos ela não morava mais comigo e eu fui deixando de lado minhas xícaras diárias.

Quando fiz 21 anos fui morar em Londres e lá o hábito voltou com tudo. Eu comprava o famoso English Tea em pacotes tamanho família pra tomar com leite (que coisa mais royal, né? haha) e retomei o hábito. Desta vez comecei a botar pouco açucar e fui me acostumando com o gosto natural das ervas.

E já com meus 26 anos, conheci uma amiga no meu antigo trabalho, a Maíra (<3), que é mega fã de chás. Começamos a comprar caixinhas de Twinnings pra deixar no trabalho e fomos descobrindo uma galera da empresa que também era adepta. No fim, nosso diretor na época comprou uma chaleira pra galera poder esquentar água mais fácil e quando vimos já tava rolando um “sindicato”, em que cada um comprava uma caixinha sempre que dava e deixava lá pra qualquer pessoa que quisesse tomar.

Pra completar, na casa do meu pai, onde todo mundo é Zen e adepto da alimentação natural, os chás também dominavam. Ele começou a comprar as ervas separadas pra fazer sua própria mistura, o que ficava ainda mais gostoso e barato.

Ou seja, não tive como fugir, me cerquei de tea lovers e também virei uma.

Quais os chás que tô tomando atualmente

Muitas marcas gringas como a famosa Twinnings, por exemplo, tem chás com gosto super acentuado e dão a sensação de serem de melhor qualidade, né? Mas não é bem assim que funciona (explico melhor abaixo).

Minha nova meta é tentar optar por produtos orgânicos e menos industrializados. Estes são os melhores. Mas por enquanto, os chás que tenho aqui em casa ainda não atendem a esta premissa. hehehe A maioria do meu estoque é do tipo saquinho, que também não é o mais recomendado, mas é muito prático e fácil de encontrar. Também tenho dois que comprei numa viagem pra NY ano passado de uma marca super famosinha por lá, chamada David`s Tea. Tudo na loja é lindo. Escolhi estes pelo preço. São uma delícia, mas acho meio doces demais pro meu gosto.

Os meus preditletos entre todos estes são o de camilia, que eu amo desde sempre, e o de hibiscus.

cha-camomila-leao

cha-hortela-erva-doce-leao

cha-maça-hibiscus

cha-organico

davids-tea-cha

O que você deve prestar atenção na hora de comprar seu chá

  • Embalagens e saquinhos: os chás de saquinho não são os prediletos dos apreciadores e entendedores. O saquinho em si pode ser feito de materiais que, em contato com a água quente, liberam substâncias duvidosas pro nosso organismo. Até os mais comuns no Brasil, que tem saquinho de papel, também tem este problema. Eu confesso que ignoro isso e tomo assim mesmo.

  • Ingredientes: Muitos chás deliciosos são cheios de corantes e ingredientes artificiais. Sempre dê uma lida na embalagem. Dê preferência aos que tem o certificado de Orgânico.

  • Processo de produção: os chás industrializados (de caixinha, saquinho e marcas mais famosas que vendem nos mercados) normalmente passam por processos de produção que fazem o chá perder grande parte das suas propriedades. Em geral os chás a granel de procedência confiável são muito melhores, livres de pesticidas e produzidos num processo mais artesanais, que conserva seus benefícios.

Como vocês podem ver, ainda preciso dar uma diversificada e ter opções mais saudáveis no meu estoque.

Por isso, separei abaixo algumas marcas que ouvi falar muito bem, de repente vocês já começam por elas.

Marcas que quero muito experimentar

Pra se inspirar mais neste maravilhoso mundo, recomendo muito este post da Mel, do Serendipity, mostrando a coleção de chás dela. Fotos lindas. *.*

E aí, bora tomar um cházinho?

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr//Newsletter do GWS

assinatura-Carol_11

Tags:

comentarios

  • Compartilhe:
371 views

16 de outubro de 2014

Margaridas e girassóis são as estampas florais da vez!

Por Nuta Vasconcellos / nuta@girlswithstyle.com.br

margaridas-e-girasol1

As estampas florais estão aí tem um tempo e parece que, pelo menos para o próximo verão, elas continuam firme e forte. Os florais da vez são a padronagem de margaridas e girassóis e elas não aparecem só estampadas em vestidos, camisetas, tênis e até mochilas.  Elas também enfeitam os cabelos, entram na decoração da casa, nas fotos do instagram e viram as flores favoritas da estação.

margaridas-e-girasol_mix_quem-usa

O amarelo, que tem destaque nas duas estampas, vem com tudo no verão, então, comprar peças com essa tonalidade é um bom investimento. Essa estampa não é tão difícil de combinar, a maioria tem o fundo preto e adoro a forma com que ela se casa perfeitamente com outras peças coloridas e até com outras estampas.

margaridas_anos_60

Além disso ela pode ser adaptada para vários estilos, pode ser mais Rocker, mais romântica, mais casual ou mais folk. É uma estampa tão versátil que funciona até em looks para trabalho e em visuais mais sérios. Esta proposta tem carinha de flower power, uma retomada da moda dos anos 60, 70 que não inclui só a era hippie. Então se você gosta de um estilo vintage, a estampa daisy também vai super funcionar pra você.

margarida_vitrine

1. Skater Dress In Daisy Print ASOS $20.85

2. Motel Smock Dress In Sunflower Print ASOS $26.53

3. Sunflower Cheeky Bikini Bottom FOREVER 21 $8.99

4. Tênis Vans Love Me Love Me Not Loja VIRUS R$ 299,90

5. Regata estampa margarida Renner R$59,90

6. Legging com estampa margaridas Marisa R$39,99

7. - Regata Cropped Margaridas Vermelho Posthaus R$ 29,90

Não tem como olhar essa estampa e não pensar em Woodstock, 1969! E vocês, curtem?

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr//Newsletter do GWS

assinatura_NUTA

 

Tags:

comentarios

  • Compartilhe:
294 views

15 de outubro de 2014

Primeiramente boa noite #41 – Novela mexicana

Por Girls With Style / gws@girlswithstyle.com.br

Por Gian Lucca:

#41 (1)

Resolvi rever de novo The OC pra começar a pensar mais no Ryan e na Marissa do que no meu próprio umbigo. Rever a mesma série pela quinta vez tem suas vantagens, tipo poder olhar o celular sem culpa e pegar um bloco de anotações pra fazer análises sobre relacionamentos no geral. Existe sempre aquele casal que sempre vai ser um casal. Posso sair da realidade californiana de Seth e Summer e citar, por exemplo, Richard Gere e Winona Ryder em Outono em Nova York (meu filme preferido do mundo, depois de Titanic, não que isso seja importante).

Jack e Rose seguiam a mesma linha editorial do casal que vai ser sempre um casal no matter the weather, pena que tinha um iceberg (literalmente) imenso pra estragar toda brincadeira amorosa. Fiquei pensando tipo Carrie Bradshaw, entre um trago e outro, porque é tão difícil, às vezes, desencanar de pessoas que já pertencem ao passado. Sempre tem aquela trepada que você queria “só mais uma vez, eu juro”. É sadomasoquista e burro. Voltar pro passado é burrice. Tem coisas que jamais vão dar certo. Don Draper não é de uma mulher só, muito menos Dr. House. Já Hank Moody… sempre vai pertencer a Karen.

O desejo de sentir de novo a sensação de um primeiro beijo vira frio na barriga de desespero com amor. Talvez, num outro ponto de vista, a gente volta pro passado quando estamos naquele momento livre e desimpedido: “É possível eu estar sem nenhum problema amoroso?” Fiquei perdido quando voltei a 78 semanas atrás, segundo o Instagram, na foto do primeiro encontro. Era um bar de rua, do lado de um viaduto, não tinha roupa bonita nem copo de vidro. Era plástico, sujo e eu faria qualquer pra ter uma segunda chance de fazer tudo diferente. Aí é isso, você começa a viajar e tentar achar justificativas e pensar que tava tudo errado e que hoje seria tudo diferente e poxa acho que não tem problema nenhum mandar uma mensagem e do nada você perde uma noite inteira de sono, sonhando com esse um ano, vivendo passeios que nunca existiram. Naquele dia eu recebi uma mensagem dizendo “me amarrei em você <3″ e não tenho ideia, hoje, de como foi que isso aconteceu.

Preciso começar a assistir Sessão de Terapia. De novo.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr//Newsletter do GWS

 

assinatura Gian_5

 

Tags:

comentarios

  • Compartilhe:
519 views

14 de outubro de 2014

A linha tênue entre liberdade de expressão e discurso de ódio

Por Girls With Style / gws@girlswithstyle.com.br

Por: Juliana Oliveira

tumblr_ncp6akPOlx1r0ylgho1_500

As redes sociais viraram um grande palco de discussão para os mais diversos temas. Opiniões controversas que ficavam apenas ali em um bate papo de bar, hoje se tornaram públicas e ganham repercussão nacional. Quando a gente acredita que o mundo está finalmente evoluindo, vem uma série de comentários racistas, misóginos, xenófobos e quase leva embora nossa esperança na humanidade. Um monte de gente é ofendida e humilhada por causa de “simples” comentários, mas você supostamente tem que ficar bem quieto. Afinal, liberdade de expressão, censura ou opinião, são apenas alguns dos termos utilizados para justificar as agressões que as pessoas falam por aí.

Não existe nenhuma espécie de filtro entre o que se pensa, fala e escreve. As pessoas têm plena convicção de que o direito de liberdade de expressão é justificativa para praticar o ódio para todos os lados. Mas, esquecem que o outro lado tem os mesmos direitos.

Chamou goleiro de macaco? Apenas sentimento à flor da pele. Ficou contra? Você tá querendo censurar! Chamou a blogueira de gorda e levou uma resposta bem dada? Era apenas uma opinião. Disse que pobre nordestino deveria ser impedido de votar e alguém se revoltou? Cadê o direito da liberdade de expressão?

Mas, o que geralmente esse tipo de pessoa não sabe é o que o termo “liberdade de expressão” realmente significa e as responsabilidades que vem agregadas a ele. O direito de manifestar livremente opiniões e ideias está garantido legalmente para todos que vivem num país democrático como o nosso. Mas, ele não é absoluto, o exercício dessa liberdade não deve afrontar o direito do outro. Esse direito serve para garantir as vozes dissonantes, a multiplicidade dos pensamentos, independentemente das forças que operam o Estado. Com outras palavras, ninguém vai ser preso (ou torturado) por se assumir gay, por ir contra o governo vigente, por escrever uma música que questione o sistema ou usar uma camisa com frases que contrariem o Estado, como um governo totalitário faria.

aspas2

O grande problema é que muitas vezes, a liberdade de expressão é usada para camuflar a manifestação preconceituosa contra minorias étnicas, sociais, religiosas e culturais, prática também conhecida como: discurso de ódio, que além de ir contra os princípios da liberdade de expressão não assegurando o direito a pluralidade, mata. Sim, mata! Porque pessoas são assassinadas ou culturalmente massacradas em consequência desses discursos. E quando a gente vê um sujeito em pleno debate político presidencial dizendo “Vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los, não vamos ter medo”. Ele incita o pior no ser humano, o ódio ao outro e não temos dimensão do que isso pode acarretar. Afinal, se ele pensa isso, muitos outros também pensam e ganhar respaldo nacional para “enfrentar” uma minoria é algo muito perigoso. É um pensamento segregador que vai aos poucos ganhando força e é um retrocesso na conquista da democracia.

Discursos de ódio disfarçados de “minha opinião” podem ser o primeiro passo para um caminho em que a liberdade de fato, seja extinta. Afinal, Hitler também tinha um ponto de vista, uma opinião, assim como a ditadura militar.

Mas ainda bem, ainda vivemos em uma democracia. Sendo assim, graças a isso você pode falar a merda que quiser, mas esteja ciente de que terá que lidar com as conseqüências. Afinal o Estado também tem leis pata punir difamação, injúria, racismo e calúnia. Querer ter o direito assegurado passando por cima de tudo e todos? Sorry, isso não é a democracia que você tanto prega que vive. A democracia respeita as pessoas, todas elas.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr//Newsletter do GWS

assinatura-juliana

Tags:

comentarios

  • Compartilhe:
659 views

13 de outubro de 2014

Lista negra: Dicas de produtos de beleza para garotas de pele escura

Por Girls With Style / gws@girlswithstyle.com.br

Por: Luiza Brasil

Abri o meu feed de notícias do facebook e deparei-me com a seguinte novidade: “Marca lança lingerie cor de pele para mulheres negras”. Fui checar a informação e trata-se da americana Nubian Skin, que no about do seu blog, que vale muito a pena ler porque é carregado de empoderamento para garotas negras, fala do começo de uma revolução na indústria e cita Eunice W. Johnson, que no início dos anos 50 criou a Ebony Fashion Fair, que foi o ponto de partida para trazer as primeiras soluções em maquiagem para a pele negra. Pois é minha gente, o nude, que dá pinta no mundo da moda e da maquiagem tem uns 5 anos, ainda não tem suas versões para a pele escura em um país como o Brasil.

Esse fato, fez-me lembrar de um episódio que era para ser bastante trivial, mas tornou-se para mim um desafio, quase uma questão de honra: encontrar um sapato nude de festa que fosse de fato do tom da minha pele. A missão foi difícil, hein?! Se não eram tonalidades de pele mais rosadas ou amareladas, partiam para o bege, que ficava claro de mais, ou caia no marrom-café, que também não atingia o meu objetivo. Encontrei a solução da minha causa na Schutz, que diante de outras marcas nacionais, tem uma cartela de nudes bem mais extensa e que contempla peles mais escuras.

Mas infelizmente não é só a carência de “nudes” que mulheres negras enfrentam no seu dia-a-dia. Nos faltam produtos de beleza nacional que não nos deixe com a cara acinzentada ou alaranjada, linhas de produtos capilares que não prometam reduzir o nosso venerado volume e cremes que de fato atuem bem em nossas peles, que tendem a ser um pouco mais ressecadas. Pensando nisso, compartilho com vocês algumas das descobertas e itens da necessaire que podem dar uma luz para quem deseja experimentar algo novo. Caso queira investir, tem opções bacanas e que valem bastante a pena a aposta. Se a grana estiver curta, não tem problema, existem alternativas com ótimo custo-benefício nas prateleiras, sim!

cabelos

Cabelos

Chic:

• Uma linha que sou apaixonada é a Kérastase Óleo Relax. Deixa o cabelo com uma textura muito boa, principalmente para os altamente crespos e tem um cheiro ok, o que é um grande problema entre alguns produtos que pesquisei no mercado.

• Outro kit de tratamento que gosto bastante e se estiver na gringa vale a pena experimentar é de Oléo de Oliva orgânica da Root Stimulator. Não é lá o mais perfumado dos produtos, mas apesar da embalagem com a modelo de cabelo alisado, considero um dos melhores na hora de hidratar fios muito crespos. Ele deixa os cabelos macios e recuperam o brilho nos mais ressecados. Amazing!

• Com tranças ou sem, outra linha que super recomendo para cabelos altamente crespos (eu disse ALTAMENTE CRESPOS) é a da Moroccanoil. Quando estou trançada, uso somente o shampoo. Quando estou com as madeixas soltas, uso o kit de tratamento. Atenção! Se você for semi-crespa e ama um volume, eu não recomendaria. Ele dá “peso” ao cabelo e pode deixá-lo mais lambido.

Cheap:

• Entre as marcas nacionais, a Novex vai muito bem, obrigada. Sou fã dos produtos à base de azeite de Oliva, que deixam os cabelos ultrahidratados. A linha de Argan também é muito boa.

• Um leave-in que curto bastante é o Só Brilho da Houtrée. É, o nome não é o mais bacana, a embalagem não é a mais formidável, mas nada disso importa quando você vê a qualidade do produto. Para mim, foi um dos mais maravilhosos que eu experimentei. Foi um dos que melhor se adaptou ao meu cabelo.

• Bioextratus Tutano: apesar de não amar o cheiro dessa linha, da última vez que tirei as tranças e voltei a usar o meu cabelo natural, recorri para ele. Ele deu uma força absurda ao picumã e ajudou a reestruturá-lo.

• Máscara de azeite de oliva: quer uma dica baratinha, baratinha? Faça quinzenalmente uma máscara com o creme de hidratação da sua escolha + 1 colher de sopa de azeite de oliva + 1 colher de chá de açúcar + 1 colher de chá de bepantol + 1 ampola de sua escolha (sim, essas de farmácia. Entre as minhas preferidas estão tutano e argan). Deixe nada mais do que 30 minutinhos, lave a cabeça e voilá!! Cabeleira linda, saudável e brilhosa!!

make

Maquiagem

Chic

• Confesso que no quesito primer, não troco a textura do meu Prep + Prime da MAC. Ele ajuda a dar aquela iluminadinha.

• No quesito base + corretivo, estou no meu momento MAC também. Curto a textura e a cor que não me deixa alaranjada e nem acinzentada. Sei que cada tom de pele é um, mas funciona muito bem para mim o NC45. Mas outra marca que tem uma variada muito boa de nuances para a pele negra é a Bobbi Brown.

• Entre os blushes, sou adepta de dois da MAC. O Babyface, mais rosadinho, uso no dia-a-dia. Já o Format, uso em maquiagens mais carregadas, que dou aquele toquinho com o iluminador, que no meu caso é o “Watt’s Up”da Benefit.

• Aprendi há muito tempo atrás, com o meu amigo e queridíssimo make up artist Rômulo Flores, que não se deve colocar corretivo na pálpebra superior dos olhos. Eu o substitui pela sombra cremosa da MAC – Indianwood.

Cheap

• Sou apaixonada pelos produtos da Vult! Entre as marcas nacionais, para mim é uma das que mais acertam nas tonalidades para a pele das brasileiras no quesito corretivo e base.

• Outra linha que gosto bastante (e os preços ainda são “friendly” no Brasil) são alguns dos itens da Maybelline. É muito boa a textura e tonalidade do Dream Mousse Blush – 60 Coffee Cake – e a base Dream Matte Mousse na tonalidade Caramelo. A marca também tem opções como o Cocoa para peles mais escuras.

• Ainda da Maybelline, sou apaixonada pelas sombras cremosas “Color Tattoo”. Para o dia a dia gosto do 25 Bad to the Bronze. Para a noite, vou de 45 Bold Gold para os dias “dourados” ou 15 Audacious Asphalt.

batom

Batom nude

Chic:

• Para nudes, gosto bastante das opções da MAC, o Honeylove e Cherish, que funcionam muito bem para a pele negra, pois não ficam com um aspecto amarelado, meio cadavérico. São tons de pele para nós mesmo!

Cheap:

• Descobri uma versão de nude da Avon, que muito me apetece: o Ultra Color 154 – Nude Matte.

hidratante

Hidratantes corporais

Chic:

• Não tem nada igual do que o poder de hidratação do Cetaphil. Tenho a versão para corpo e rosto, que ainda tem filtro solar 50, e faz magia em peles ultrassecas. A durabilidade também é bastante justa. Vale o investimento!

• Para as que têm a pele mais sensível, vale como alternativa o Fisiogel. O creme hipoalergênico tem uma boa textura, uma hidratação que dispensa comentários e é sem cheiro.

Cheap:

• Outro que uso bastante é o Johnson Softlotion de Manteiga de Karité e Cacau. Além de uma boa hidratação para o custo-benefício, tem um cheirinho que gosto bastante.

lingerie

UNDEWEAR: Se ainda não encontrou um nude para chamar de seu

- Invista no avelã! A cor favorece em tons de pele mais escuras, pois não marca em roupas claras, além de dar um toque mais sofisticado do que os beges (principalmente se for mostrá-la para alguém! rs). A Hope trabalha com a nuance em vários modelos.

- Quem ainda tem receio e prefere a paleta tradicional, a Scala tem o chocolate, que pode cair acertadamente na sua pele!

Pois, é diante dessa lista enorme de coisas que troquei com vocês, seria audacioso da parte do setor de marketing de qualquer empresa dizer que não existe mercado no Brasil para a beleza negra. Temos de mostrar que somos fortes consumidoras, que temos potencial de compras e que investimos e muito, principalmente, no que diz respeito à beleza.

Ok, mas como fazer isso? Simples. Não tenha receio e nem preguiça de entrar em contato com o SAC das marcas que você gosta! Para as mais práticas e que curtem colocar a boca no trombone, as redes sociais também são uma ótima forma de expor seu descontentamento e enviar sua crítica construtiva (disse crítica construtiva. Não vale errar na dose e sair xingando as marcas). Nas publicidades não existe ninguém com o seu perfil? Explicite sua necessidade de identificação! A publicidade tem alguém que você possa seguir como referência? Ajude a pulverizar a boa ideia, que com certeza as marcas vão começar a aderir! Entre os exemplos mais atuais estão as cariocas Karamello e a Blue Man. Vale também frisar a inspiração do Verão 15 do consagrado Alexandre Herchcovitch, que veio da Baptist Nazareth Church, religião de origem sul-africana, que levou para as passarelas fortes influências afro, além de um casting magnífico, composto por modelos negros.

Assim como diz o site da Nubian Skin, suas pequenas atitudes podem ser um passo enorme para uma revolução, que sempre começam de algum lugar! Faça a sua “pequena grande” parte!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr//Newsletter do GWS

assinatura Luiza_1 copy

Tags:

comentarios

  • Compartilhe: