740 views

14 de janeiro de 2012

↓ Pular para comentários

Entrevista com Daisy Lowe

Por Nuta Vasconcellos / nuta@girlswithstyle.com.br

Hoje eu acordei nervosa. Ao meio dia em ponto, eu tinha uma entrevista exclusiva marcada com a Daisy Lowe, modelo britânica que veio ao Rio de Janeiro desfilar com exclusividade no Fashion Rio para a grife Ausländer. A entrevista fot no hotel em que ela estava hospedada, o Copacabana Palace.

Eu gosto de fazer entrevistas, adoro entrar no backstage e conversar com modelos, mas com Daisy era diferente. Eu realmente a admirava e não imaginava que tão cedo, teria a oportunidade de conversar com ela principalmente em uma exclusiva. Sábado, dia 14 de janeiro de 2012. Rio de Janeiro com cara de Rio de Janeiro. Céu azul, sol quente, praia cheia. Chego ao Copacabana Palace britânicamente ao meio dia e a primeira notícia que recebo dos assessores dela é que não poderia rolar fotos, somente mais tarde no backstage da Ausländer.

Tudo bem. Nada ia me desanimar hoje. Me encaminham até a piscina lotada do hotel, onde vejo Daisy já com um sorriso no rosto e uma água de coco me esperando. Ela se levanta para me cumprimentar, e eu achando que um beijo no rosto seria demais sou surpreendida com um abraço. “Oi como você está? Obrigada por vir!” - Diz ela pra mim. “Obrigada você por me receber”, eu respondo de volta. Daisy usava um mini vestido floral, óculos escuros e tranças no cabelo. Logo digo que ela teve sorte, o Rio andou com um tempo estranho toda a semana com nuvens e chuva e hoje estava um céu lindo, sol, aquele Rio que todo estrangeiro quer ver.

Então ela diz: “Seria “rubbish” (expressão inglesa pra algo muito ruim) se eu saisse da chuva e do frio para outro lugar igual… hahahah eu estou tão feliz aqui. Estou muito feliz agora…”

Foi com uma Daisy simpática, linda e feliz que rolou um bate papo a beira da piscina.

Nuta: Você foi criada e sempre viveu em um ambiente musical. Família, namorados… E você também é DJ de vez em quando. Você já quis ter uma banda? É uma possibilidade?

Daisy: Eu sempre via minha mãe e meu padrasto saírem em turnê quando eu era muito jovem, então por causa disso eu sempre prometi a mim mesma que eu não faria o mesmo. Eu não consigo lidar bem com essa rotina de banda na estrada, é bem complicado. Mas crescer vendo essa vida me fez admirar o quanto difícil ela é. Mas o bom dessa história toda é que o estilo de vida rock’n’roll realmente me “moldou”. Me fez quem eu sou, e eu gosto muito disso.

Nuta: Quando você era mais nova, você queria ser cientista forense ou advogada… (ela me interrompe nesse momento)

Daisy: O que aconteceu, certo? Com certeza eu ainda poderia fazer algo assim no futuro… (Risos) Ter uns dois filhos, voltar estudar… Eu amo usar meu cérebro, sabe? Dois dos meus tios são advogados e eu sempre os admirei muito. Gosto de pesquisar as coisas, chegar na essência delas. Queria ser uma advogada criminal, ou detetive. Aconteceu de eu ser modelo. Quando eu tinha 15 anos, minha mãe me disse para eu arrumar um part time job, porque ela já estava cansada de me dar 20 libras todo fim de semana para ir ao cinema. Mas um dia, eu estava andando pelo Cambridge Market (Londres) e disse para ela: ‘Mãe, uma moça me parou e perguntou se eu queria ser modelo. Posso ser modelo ao invés de ter esse part time job? Na época, eu peguei o part time job do mesmo jeito, mas foi ali que tudo começou. Na verdade começou mesmo quando fiz 17, quando fotografei com Steven Klein e dali em diante foi uma bola de neve. Aí eu comecei a fazer vários trabalhos como modelo e continuo fazendo até hoje.

Nuta: Sei que é uma questão antiga, mas como você se sente com toda a questão do seu pai? (Daisy só descobriu em 2004 que seu pai biológico era Gavin Rossdale, atual marido de Gwen Stefanni) Isso te deixa mais preocupada com o pai que você vai dar para seus filhos?

Daisy: Sim, claro! Minha meta na vida é ser uma mãe muito boa e uma esposa muito boa. Eu fiquei mal um tempo em relação ao meu pai, mas hoje sinto de superei completamente isso. Hoje construímos uma relação, o que eu acho que foi muito importante. Mas definitivamente me faz pensar: ‘Tenho que escolher um bom partido!’ Quero dar um bom pai para os meus filhos, sim.

Nuta: Em uma entrevista você disse que se fosse para ser famosa, seria famosa pelo seu talento. O que você acha de celebridades instantâneas?

 Daisy: Acho bem chato. Mas, com muita vergonha, devo confessar que eu estou adorando Celebrity Big Brother! É tão engraçado! Eles estão sendo tão cruéis com os participantes… Nesse, por exemplo, tem uma garota que participou de um reality show bem famoso na Inglaterra e colocaram nela um piercing que na verdade é um ponto, e ela tem que falar na hora o que eles dizem pra ela ou na mesma hora alguém ganha o prêmio. O tempo todo mandam ela falar para o Michael Madsen, que fazia o pai do garotinho em Free Willy, ‘toca aqui Free Willy!’, então tenho me divertido muito. Programa de TV brilhante, não é? (Risos)

Nuta: Em uma entrevista, sua mãe falou que você quando você tinha seis anos, disse que todos os homens eram canalhas. Você ainda pensa isso?

Daisy: (Risos) Não! Eu não acho mais… Eu conheço alguns homens incríveis. Metade deles são bons. Mas são difíceis de encontrar.

Nuta: Seus livros favoritos, que você disse que mudaram sua vida, são Prozac Nation e A Million Little Things. Por que são tão importantes para você?

Daisy: Eu cresci tendo que lidar com uma mãe que passou por todas essas coisas. E ela sempre foi muito aberta comigo sobre tudo isso. Ler esses livros e conversar com a minha mãe me fez perceber que eu poderia entender tudo aquilo, não precisava passar por aquela experiência pra entender. E são livros ótimos para ler.

 Nuta: Você tem um filme e banda preferidos?

Daisy: Meu filme favorito de todos os tempos é True Romance. Quentin Tarantino escreveu, mas não dirigiu. É com Christian Slater e Patricia Arquette. É sobre um romance verdadeiro em um ambiente realmente violento. É uma história linda de amor. E minha banda favorita é Florence and The Machine, e ela está vindo tocar aqui!

Nuta: Quais são seus truques de beleza? Divide com a gente!

 Daisy: Recentemente, descobri uma coisa que tem funcionado pra mim! Na hora do banho, eu passo o shampoo somente na raiz e esfrego bem. Além de dar um volume bonito no cabelo, ele fica mais brilhante. Eu uso shampoo e condicionador Pureology Hydration e no verão eu amo usar o Bumble & Bumble Spray Surf. Ele dá um movimento lindo aos cabelos. Também nao posso viver sem o Sisley Lip Balm, é o melhor lip balm que existe. E eu também bebo bastante água.

Nuta: E de moda? O que você tem mais usado ultimamente?

 Daisy: Amo botas de combate e vestidinhos! Como sempre! (Risos)

Nuta: Você está gostando do Rio de Janeiro? Que lugares quer conhecer, o que quer fazer?

Daisy: Quero muito ir ao Cristo e ao Pão de Açucar! Dizem que fazem festas incríveis no Pão de Açúcar, né? Quero ir em uma dessas. Deve ser muito legal. Eu também queria fazer aulas de samba! (Risos) E não vejo a hora de ir para a praia e pular nas ondas!


 

Tags:

comentarios

  • Compartilhe: