2.091 views

9 de junho de 2012

↓ Pular para comentários

Pra assistir: Brilho eterno de uma mente sem lembrança.

Por Nuta Vasconcellos / nuta@girlswithstyle.com.br

brilho-eterno-de-uma-mente-sem-lembranças

Ontem eu decidi ficar em casa sozinha, longe das redes sociais e fazer tudo que eu só consigo fazer quando decido passar um tempo comigo mesma. Desenhar, escrever nos meus diários (é, eu tenho mais de um e eles são separados por tema) e rever meus filmes prediletos (eu prefiro rever filmes do que assistir a novos. Deve ser a idade chegando). Escolhi um que eu não via há muito tempo e que, sem querer, tem tudo a ver com a “temática” da próxima semana (pra quem não sabe (quem não sabe?) terça que vem é dia dos namorados!) Brilho eterno de uma mente sem lembranças (Eternal sunshine of the spotless mind) é um filme sobre relacionamentos. Mas muito longe de ser uma comédia romântica previsível.

Joel vivido por Jim Carrey (maravilhoso em um papel sério, vale a pena dizer) e Clementine  interpretada pela diva Kate Winslet formavam um casal que durante anos tentaram fazer com que o relacionamento desse certo. Depois de tantas indas e vindas (quem nunca viveu um relacionamento ioiô?) e  desiludida com o fracasso, Clementine decide esquecer Joel para sempre e aceita se submeter a um tratamento experimental, desenvolvido por um médico que retira de sua memória momentos vividos com o ex, como se ele nunca tivesse existido. Depois de saber da atitude de Clementine, ele entra em depressão, frustrado por ainda estar apaixonado por alguém que está disposta a apagá-lo da sua memória. Joel então se submete ao mesmo tratamento para também esquecer Clementine.

A história de Brilho eterno de uma mente sem lembranças se passa em sua maioria dentro das memórias de Joe. Retrata um relacionamento real, de pessoas reais. Nada daquelas frases hollwoodianas sobre o que é o amor. Nada de beleza perfeita (Joe é Jim Carrey e Clementine uma garotas de roupas estranhas e cabelos coloridos) e os momentos românticos não se passam no topo da torre eiffel com chandon, mas em casa assistindo TV embaixo das cobertas.

O filme também te faz refletir sobre o que é um relacionamento que deu certo. Só porque Joe e Clementine terminam, não significa que eles não viveram uma linda história de amor que deu sim, muito certo. Me fez pensar até em outra coisa… quantos relacionamentos ainda “existentes” você conhece que na verdade, nunca deram certo?

O amor aplica essas peças na gente. Essa ideia de conto de fadas, do felizes para sempre. As vezes é melhor separar, guardar as boas lembranças e seguir em frente com aquela bagagem de amor vivido por completo. Com começo, meio e fim.

Saindo dos meus pensamentos e voltando ao filme, eu realmente não esperava ser surpreendida pelo final de um filme “romântico”. E fui. Durante a história você pode dar uma surtadinha pensando que nada está fazendo sentido, mas calma! Tudo é devidamente explicado no final, preste atenção em todas as cenas que tudo vai se encaixar sem grande esforço.

Brilho eterno de uma mente sem lembrança tem um roteiro impecável, dois grandes atores, frases para usar pra vida e Clementine Kruczynski! umas das personalidades da ficção mais interessantes que já vi. Primeiro porque Clementine é autêntica. Ela jamais usaria saia mullet só porque é tendência. E durante o filme ela deixa bem claro seu estilo “mash upgrunge, clubber, esportivo com uma dose nerd. Excêntrico e inesperado: Totalmente Clementine.

E se isso não é o suficiente para você também tem Kirsten Dunst, Elijah Wood e uma trilha sonora foda. O filme é perfeito para solteiras, terminadas e para quem está namorando. Todo mundo aprende uma lição, se inspira e se diverte.

Quem não viu tem que ver, quem já viu tem que ver de novo!

Tags:

comentarios

  • Compartilhe: